15 de março de 2021

A Bitcoin como principal moeda virtual e a sua representatividade em relação às demais criptomoedas.

Por cursoronaldosilva

Alguns ainda não alcançaram a grandeza de uma estrutura financeira que é movimentada apenas virtualmente.

O mercado de moedas virtuais, apesar de sua enorme expansão e aderência, ainda é uma incógnita para muitas pessoas.

No entanto, pode-se dizer que quase qualquer pessoa com acesso à internet já ouviu falar ou leu por aí o termo Bitcoin.

A Bitcoin foi a moeda que deu início a essa organização descentralizada de comércio de moedas exclusivamente digitais. E é a que permanece como a mais expressiva até os dias de hoje, em termos de renome e lucratividade.

E quem está entrando agora no mercado de criptomoedas provavelmente teve, num primeiro momento, contato com uma Bitcoin, embora já tenha noção da existência de outras criptomoedas de amplitude semelhante.

Veja um pouco mais sobre o assunto no artigo a seguir.

Breve histórico das moedas virtuais

O ano de 2008 é a data do primeiro registro de uma moeda virtual descentralizada, originada por uma pessoa que utilizava do pseudônimo Satoshi Nakamoto.

O nome dado a essa moeda foi Bitcoin.

Nesse período, o mundo passava por uma crise econômica, onde o dinheiro de pessoas físicas foi utilizado para manutenção de bancos e grandes empresas.

Antes disso, já havia descrições sobre essa forma virtual de movimentação financeira, chamada de “Dinheiro B”. Era caracterizado, então, como um sistema eletrônico anônimo de pagamentos, que depois deu lugar ao Bit Gold.

Mais adiante, em 2011, outras criptomoedas ganharam forma. Namecoin, Litecoin e Peercoin são alguns exemplos.

Três anos depois, uma segunda geração de moedas digitais se originou e conquistou novamente mais adeptos, pois solucionava impasses estruturais e operacionais, com contratos mais inteligentes e isenção de taxas para sua movimentação.

Em 2017, a Bitcoin atingiu a alta histórica de $19 mil dólares, oportunidade em que passou a despertar olhares de interesse do público em geral, não somente investidores e traders profissionais.

Aliás, a profissão de trader financeiro também era um grande mistério. Hoje, um grande de número de pessoas vivendo exclusivamente de especulação de mercado financeiro.

O diferencial da Bictoin em relação às demais criptomoedas

A Bitcoin tem seu diferencial porque realmente não possui qualquer coisa que se aproxime de um dono, um CEO ou um detentor dessa moeda.

Ninguém exerce o controle dessa moeda; toda sua movimentação é comandada pela própria comunidade usuária, independente da quantidade que cada membro dessa comunidade tenha.

Sua valorização já ultrapassa algumas pedras preciosas e atualmente encontra-se no ranking como a 8ª maior moeda do mundo.

Liberdade de negociação, segurança garantida por um sistema chamado de blockchain e sua constante valorização, mesmo em tempos de crise, são características que fazem dessa moeda um diferencial.

Outras vantagens da negociação de criptomoedas é possível ver nesse artigo aqui

Criptomoedas promissoras

Essa ideia de descentralização de mercado de investimentos começou com a Bitcoin. Nesse meio tempo, tantas outras surgiram e ganharam grande relevância no meio.

A Bitcoin ainda é a mais rentável e vive um período de constante valorização, mesmo em tempos de crise na saúde a nível mundial.

Em junho de 2020, por exemplo, seu valor em reais estava na média de R$48.898,18 , com variações.

No entanto, outras moedas virtuais surgiram no mercado e se provaram igualmente promissoras para esse universo dos investimentos.

Além da Bitcoin, outras moedas virtuais estão na mira como bastante promissoras para o ano de 2020. Algumas delas:

  • Ethereum, a segunda maior criptomoeda do mercado e com grande promessa a curto e médio prazo. Seu potencial de crescimento apresenta expressividade;
  • EOS, grande concorrente da Ethereum;
  • Nano, moeda virtual com promessa de resolver impasses relacionados à escalabilidade e custo operacional, presente em algumas criptomoedas conhecidas.
  • IOTA, que tem uma tecnologia criptográfica considerada ainda mais segura que a Blockchain. Embora não seja descentralizada como a maioria, apresenta grande potencial.
  • Cardano, uma moeda criada por engenheiros de programação após 2 anos inteiros de pesquisa. Ainda está chegando no mercado

Não é seguro dar uma previsão certeira sobre o ranking de criptomoedas para os próximos anos.

As vantagens desse mercado são muitas, mas sua volatilidade coloca investidores em posição de atenção. Isso abre espaço para o reconhecimento e aceitação de outras moedas e, consequentemente, amplia as possibilidades.

Se deseja saber mais sobre a Bitcoin e sua representatividade face às demais criptomoedas, clique aqui.